Categoria: Impotência

Impotência Sexual

Impotência Sexual

O tema sexualidade vem recebendo crescente atenção, não só dos meios de comunicação como também na literatura médica. A publicação de estudos enfocando o comportamento sexual vem crescendo desde os anos 1950 e aumentou mais ainda após o advento das pílulas anticoncepcionais e da liberação sexual nos anos 1970. O surgimento de medicações eficazes via oral no tratamento da disfunção erétil trouxe novo impulso para esta questão.

A disfunção erétil, definida como a incapacidade de obter e manter ereção suficiente para uma atividade sexual satisfatória, é um dos vários problemas médicos no campo das disfunções sexuais masculinas.

Alguns estudos demonstraram que até 52% dos pacientes entre 40 e 70 anos apresentam algum grau de disfunção erétil. Além disso, é frequente a associação da disfunção erétil com outras doenças.

Os tabus e restrições culturais, a complexidade da questão da sexualidade e a aceitação da disfunção erétil como uma consequência natural do envelhecimento podem ser apontadas como as prováveis causas do baixo índice de procura de auxílio médico. Esse índice vem aumentando nos últimos anos, mas ainda poderia ser maior.

Saiba mais: Androzene comprar

A procura de um especialista deve se dar não apenas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, mas também porque algumas doenças têm na disfunção erétil o seu primeiro e único sintoma. Publicações científicas vêm ressaltando que a disfunção erétil no homem é considerada um fator preditivo de doença coronariana. Ou seja, homens que apresentam dificuldades de ereção podem ter alterações nas artérias coronárias capazes de evoluir para infarto ou isquemia cardíacas.

Causas

A causa da disfunção erétil é multifatorial e normalmente está relacionada à diabetes, ao colesterol elevado, à hipertensão arterial, ao tabagismo e à obesidade. Além disso, o fator psicológico e algumas medicações também podem afetar diretamente o desempenho sexual no homem.

Outro aspecto importante relacionado à função sexual masculina é deficiência androgênica do envelhecimento masculino (DAEM), popularmente conhecida como “andropausa”. Nos homens, a função de produção de testosterona pelos testículos declina progressivamente com o avanço da idade. Além de causar diminuição do desejo sexual e de afetar a ereção, o déficit hormonal pode causar outras alterações, como osteoporose, alterações de memória, depressão e fraqueza muscular.

As alterações no desempenho sexual masculino têm tratamento médico. Desta maneira, por meio da avaliação e do tratamento correto, podemos descobrir doenças ocultas e melhorar sua qualidade de vida e sua saúde como um todo.

Novo estimulante sexual em gotas para disfunção erétil

Novo estimulante sexual em gotas para disfunção erétil

Muitos comprimidos, cápsulas e pílulas surgiram nos últimos anos para tratar disfunção erétil. Mas uma novo estimulante sexual em gotas promete ser uma solução para a impotência sexual.

disfunção erétil

Os problemas de ereção, tem levado a ciência a criar mais um método para tentar curar as disfunções sexuais ou, ao menos, dar uma solução rápida e eficaz.

Os tratamentos são variados e você pode fazer sozinho ou com o acompanhamento do casal. Falta de vontade, traumas, estresse e até sofrimentos físicos são algumas das causas deste tipo de disfunções.

Nos homens, os problemas em sua saúde sexual e reprodutiva tendem a ser muito associados à sua virilidade e, portanto, afetam de forma mais pontual.

Por exemplo, a disfunção erétil afeta cerca de 52 por cento dos homens após os 40 anos, embora apenas 9% se atreve a ir ao médico e receber o tratamento.

A chegada do viagra, a famosa “azulzinho“, pareceu dar uma solução para parte dessas situações sexuais complexas. O medicamento possibilitou que centenas de homens, e, é claro, as suas parceiras, a possibilidade de ter uma vida sexual plena. Porém, o medicamento tem curta duração e muitos efeitos colaterais.

Saiba mais: estimulante sexual funciona

Apenas 9% dos homens que sofrem com disfunção erétil procuram tratamentos médicos.

Existem outros medicamentos, como o Cialis por exemplo, que na realidade são antidepressivos, mas que, como efeito colateral, combate a ejaculação precoce.

Pois bem, recentemente, pesquisadores brasileiros iniciaram a venda de um remédio em gotas destinada apenas aos problemas de ereção.

Como estimular o desejo sexual
O remédio natural, que se apresenta como uma alternativa aos comprimidos da farmácia, é vendido com o nome comercial de Tesão de Vaca, estimulante sexual em gotas. O fitoterápico, também, estimula as mulheres com falta de desejo sexual.

estimulante feminino

Seu princípio ativo, afrodisíacos naturais, são substâncias que dilatam os vasos sanguíneos do pênis e permitindo que você tenha e mantenha a ereção.

Sua aplicação é mais ou menos simples, mas obviamente mais complexa do que tomar um comprimido. Deve-se colocar algumas gotas do Tesão de Vaca, em 300 ml de alguma bebida, segurando o sempre na posição vertical para que o líquido saia de forma continua. O efeito demora entre cinco e 30 minutos em aparecer, e dura entre uma e duas horas, de acordo com cada pessoa.

De acordo com a indicação médica, o Tesão de Vaca penetra no tecido erétil do pênis e faz com que ele se encha de sangue, se endureça e para que seja possível uma atividade sexual.

Isso sim, tem contra-indicações. Por exemplo, deve sim ou sim usar o preservativo durante o ato sexual, pois há risco de que o produto possa entrar na vagina da mulher. Mas, representa um risco menor para as pessoas que tenham sofrido infarto do miocárdio ou de trombose venosa.

A disfunção erétil costuma surgir por fatores físicos, mas também há casos em que ocorre por motivos psicológicos. Atualmente sabe-se que 90% dos casos são causados por fatores orgânicos, em sua maioria relacionados com a má circulação sanguínea chamada “insuficiência vascular”.

Embora o estimulante sexual tenha eficácia comprovada foi demonstrado que se a parte de baixo não funcionar plenamente, pode não estar conectada com o cérebro e as emoções. Nesses casos, o mais indicado é procurar um médico especialista.